As Leis da Natureza

Chamemos Leis da Natureza (Leis Naturais, Leis do Universo, Leis Universais) as leis segundo as quais o Universo funciona [1]. Por exemplo, as leis da gravitação de Newton, suas três leis do movimento, leis do gas ideal, leis de Mendel, de Arquimedes, de Kepler, da oferta e da procura, da conservação, da termodinâmica, da causalidade, probabilidade, etc [2].

Deve-se destacar que uma Lei da Natureza é uma descrição da realidade, é a descrição de como a natureza se comporta.
O que nos interessa aqui são as conseqüências da existência dessas leis; a definição do que constitui uma lei e qual sua natureza é objeto da metafísica e não nos interessa aqui [3].
Neste texto os termos Natureza e Universo são sinônimos e significam: tudo o que existe. E as conclusões deste texto baseiam-se em dois fatos:

I) o Universo existe [4];

II) as Leis da Natureza existem e determinam como o Universo se comporta;

Propriedades [18]

Verifica-se que as Leis da Natureza possuem algumas propriedades [5].
As Leis da Natureza:

1) funcionam da mesma maneira em qualquer local do universo e em qualquer tempo [6] (Princípio da Universalidade);

2) são absolutas (nada no universo as afeta) (Princípio do Absolutismo);

3) são estáveis (não se alteram com o tempo) [7] (Princípio da Estabilidade);

4) são onipotentes (tudo no universo está aparentemente sujeito a elas) (Princípio da Onipotência);

5) são objetivas (podem ser demonstradas por qualquer um, produzindo sempre os mesmos resultados sob as mesmas condições) (Princípio da Objetividade);

Conseqüências Imediatas

a) da existência do Universo e das Leis da Natureza

Pode-se duvidar da existência de deus mas não se pode duvidar da existência do Universo nem da existência das Leis da Natureza. Esse é um detalhe extremamente significativo pois indica a real prioridade das entidades. O conceito de deus não existe sem nós e portanto só existe nas nossas mentes; o Universo e suas leis já existiam antes de nós e continuarão a existir depois que nós não mais existirmos. O conceito de deus depende de nós, é relativo; o Universo e suas leis não dependem de nós [8]. A dificuldade em se provar a existência de deus provavelmente reside no fato que, na verdade, não se esteja tentando provar a existência de deus mas do deus que imaginamos, ou seja, do nosso conceito de deus, e é justamente esse conceito que não encontra respaldo na Natureza. Tentar descobrir se deus existe é diferente de tentar provar que deus, como o imaginamos, existe.

b) da universalidade das Leis da Natureza

Se as Leis da Natureza funcionam da mesma maneira em qualquer local do universo e em qualquer tempo então o Universo é previsível quando se conhecem todas suas leis – não é o nosso caso; conhecendo-se parcialmente as leis faz com que o Universo seja parcialmente previsível para nós, ou estatisticamente previsível.
Em princípio tudo se desenrola pela lei da causalidade (causa e efeito), mas a complexa interação de eventos e influência destes entre si produz entrelaçamentos de cadeias de eventos numa sucessão pseudo-aleatória (que nos dá a impressão de ser aleatória) e que pode ser alterada pela vontade. A vontade pode gerar novos eventos e alterar a seqüência dos eventos já em curso. [14]

c) do absolutismo das Leis da Natureza

1+1=2 é uma verdade absoluta, acreditar noutro resultado não afeta a realidade – a fé não move montanhas; rezar, pedir (com intuito de comover aos deuses) não altera a realidade; oferecer sacrifícios, orações, promessas (com intuito de subornar aos deuses) não altera a realidade; entretanto é possível alterar-se a realidade fazendo-se uso das próprias Leis da Natureza, como por exemplo, o efeito placebo – a crença na melhora causando a melhora é um fenômeno que está dentro do escopo do que é permitido pelas Leis da Natureza.

d) da estabilidade das Leis da Natureza

No momento seguinte ao Big Bang formaram-se as Leis Naturais, uma das primeiras é a Gravidade [9], e elas continuam valendo, e nada há que indique que isso se alterará [6]. Deve-se notar que se as leis naturais puderem se alterar com o tempo, isto também será uma lei natural e estará previsto no código do universo.

e) da onipotência das Leis da Natureza

A gravidade vale para todos que resolverem pular de um edifício de 50 andares, tanto Adolf Hitler quanto Jesus iriam igualmente se estatelar no chão, não existem indivíduos protegidos que sejam imunes a ela, não existem favorecidos, não adianta rezar para não cair, crer que não irá cair será inútil; e ninguém pode se recusar a obedecer a lei da gravidade. Deve-se notar que ao usar um paraquedas ou uma asa delta, por exemplo, estamos utilizando outras leis naturais que nos possibilitam não cair – é permitido simplesmente porque é possível. Também não existem seres privilegiados que possuam “super-poderes”.

f) da objetividade das Leis da Natureza

Qualquer pessoa pode, em casa, fazer um experimento de eletrólise da água, separando-a nos seus componentes oxigênio e hidrogênio, não é preciso crer nem ter fé nem é necessário possuir poderes especiais, não é preciso seguir uma religião nem ser “abençoado” (seja lá o que isso signifique) nem receber uma revelação divina. As Leis da Natureza podem ser descobertas, comprovadas e utilizadas por qualquer um, em princípio.

Outras Conseqüências

A) Justiça

As Leis da Natureza são demonstráveis por todos, são válidas e iguais para tudo e todos, sem exceções, em qualquer lugar e em qualquer tempo, isso é o mais próximo que se pode chegar de uma Justiça – ou em outras palavras, essa é a única justiça que pode existir. Porém a justiça na qual gostamos de acreditar, aquela das iguais oportunidades para todos, não existe: povos que descobrem as Leis da Natureza levam vantagem sobre os que não as descobrem pois entendem melhor o mundo, podem manipulá-lo e prever acontecimentos.

B) O Pecado

Qual ação seria mais digna de um Deus onipotente: criar leis que coordenam o Universo inteiro e nada pode desafiá-las, ou criar tolas leis com a única finalidade de reger o comportamento de uma espécie de primatas que vivem num planetinha [10] qualquer e que podem ser desobedecidas por qualquer um?

Pecado, por definição, é a transgressão de preceitos religiosos, é desobedecer às leis divinas. Se deus não existe então não existe pecado. Se deus existe, então as Leis da Natureza são as verdadeiras leis de deus. Nada nem ninguém pode desafiar ou desobedecer as Leis da Natureza, logo o pecado não pode existir por ser algo impossível. Assim, se deus existe então o pecado não existe. Portanto, independentemente da existência de deus, o pecado não existe. [11]

C) O Sobrenatural

Nem todas as Leis da Natureza são conhecidas pelo homem, assim a existência de fenômenos ainda não explicados dá margem a crenças no sobrenatural; porém a situação de não-conhecimento é temporária;
tudo pode ser explicado pelas Leis da Natureza, apenas ainda não conhecemos todas elas. Nada poderia estar acima das Leis da Natureza pois isso violaria suas propriedades e portanto nada é sobrenatural, ou seja, tudo é natural. Ainda que existissem fantasmas e telepatia, seriam coisas naturais.

D) Milagres

Milagres, por definição [12], são eventos que violam as leis da natureza – não fosse assim não seriam milagres, seriam eventos comuns. Porém, como se pode pensar num deus que criou leis invioláveis mas que ele próprio viola eventual e arbitrariamente? Violar as leis da natureza produziria injustiças que para serem corrigidas se deveria voltar a violar outras leis produzindo ainda mais injustiças e assim por diante numa cadeia que deveria retroceder e reiniciar Universo numa nova seqüência de eventos todos controlados pelo deus onipotente e assim livres de injustiças e imperfeições. Mas não pode ser feito ou assim já seria.

A necessidade de crença num deus que viola as leis da natureza [13] surge numa tentativa de conciliar a incontestável existência dessas leis com o desejo de acreditar num deus onipotente e capaz de realizar milagres quando precisamos de um [14]. Um deus onipotente porém corruptível e a nosso serviço.

Supondo que deus exista e tenha criado o Universo, pode-se dizer que ele era onipotente antes da criação, podia ter criado o Universo como bem entendesse; uma vez criado o Universo como é, com leis estabelecidas, nem mesmo ele pode violar essas leis – não é mais onipotente. Se esta conclusão parecer absurda, deve-se lembrar que ela parte da premissa acima (supondo que deus exista e tenha criado o Universo) – portanto, ou a conclusão é absurda ou a premissa o é.

E) Impessoalidade do Universo

Das propriedades das Leis da Natureza vê-se que essas leis são impessoais e portanto o Universo também o é; assim, se deus existe, ele só pode ser impessoal. Do ponto de vista da psicologia humana essa é uma das conclusões mais difíceis de se aceitar – o ser humano, devido às suas limitações, gosta de imaginar um deus pessoal que o ouve, o compreende, atende seus pedidos, pune, ensina, ama [13].

F) Moral

A moral é simplesmente um conjunto de regras de convivência social, um código de conduta que viabiliza a vida em sociedade, um conceito exclusivamente humano sem qualquer significado para o Universo. De fato não há nada nas Leis da Natureza que faça qualquer referência a uma moral absoluta – o Universo é amoral e se deus existe também deverá sê-lo. Neste contexto a Bíblia é obviamente uma criação humana [11].

G) Destino

Ao se deixar cair uma pedra pode-se dizer que o destino dela é atingir o solo depois de um tempo de queda. Neste sentido destino é um resultado previsível, desde que se tenha conhecimentos das Leis da Natureza envolvidas no processo. Contudo, como visto em (b) acima, o resultado previsto inicialmente pode ser alterado pela influência de outros eventos de seqüências que se cruzam ou pela ação direta iniciada pela vontade.

Essa é a única compreensão possível para destino, que não pode ser visto como uma sentença pré-escrita em algum lugar por um algum ser. De fato, imaginar-se um deus que criou o Universo e deixou todos os acontecimentos nele pré-estabelecidos faria do Universo um teatro sem qualquer propósito, onde tudo e todos são marionetes – bem e mal seriam indefinidos pois tudo seria responsabilidade do criador.

H) Demônios, Anjos et alia

Não podem existir, pois isso violaria as propriedades das Leis da Natureza. O “poder” de fazer uso das Leis da Natureza está disponível para todos, ou todos podem ou ninguém pode. Simples assim. [15]

I) Deus

A questão é: o que se entende por “deus”?
A maioria das pessoas provavelmente entende deus como sendo o criador.
Se um deus criador existe é de se esperar que ele seja inteligente, racional, lógico, coerente, em outras palavras, deus deveria obedecer as Leis da Natureza (que em princípio ele próprio teria criado), o que significaria que o deus criador estaria sujeito à sua criação. A hipótese de um deus criador, à parte do Universo, conduz a uma série de contradições (que mereceriam um texto à parte inteiramente dedicado ao assunto), levando à conclusão de que o deus criador é logicamente inviável. Mas o Universo e suas leis existem, isso é fato e não há contradições. Assim, ou nada existe que possa ser chamado de deus, ou deus seria indistingüível do Universo e suas leis – o deus de Spinoza e de Einstein [16] – contudo, essa suposição esbarra numa questão ainda a ser respondida, a do futuro do Universo [17].


Todas as conclusões tiradas aqui são simples e diretas, frutos da observação da natureza, ou seja, a partir de dados acessíveis a todos; nenhuma teoria foi criada.



“To me, the most incomprehensible thing about the universe is that it is comprehensible”Albert Einstein



Notas

[1] – Leis Naturais ou Leis da Natureza (Laws of Nature) – Não confundir com leis da ciência (Scientific Laws) nem com o assim chamado “Direito Natural”, que em inglês se chama ‘Natural Law‘.

[2] – Ver:
List of Laws in Science
Scientific Laws named after people

[3] – Ver:
The Laws of Nature (Stanford Encyclopedia of Philosophy)
Laws of Nature (The Internet Encyclopedia of Philosophy)
The Nature of the Laws of Nature

[4] – Seguidores de exóticas filosofias que pregam a inexistência do Universo nem precisam ler este texto pois ele (o texto) também não existe!

[5] – Ver:
Physical Law
Paul Davies (The Mind of God, 1992) e Richard Feynman (The Character of Physical Law, 1965)

[6] – Ver:
Are the Laws of Nature the Same Everywhere in the Universe?
Are the laws of nature changing with time?

[7] – Não confundir com a redação dada por nós a tais leis, esta sim sujeita a alteração e aperfeiçoamento para melhor descrever a lei em questão (para melhor descrever a realidade).

[8] – Ver também: Misticismo Quântico.

[9] – The History Channel – O Universo – Galáxias Longínquas
Ver também Deus não criou o universo, diz Hawking em novo livro.

[10] – Ver:
Sistema Solar (Wikipedia)
Comparação do tamanho dos planetas (Apolo11.com)
Comparação do tamanho dos planetas (Colégio Web)
Planetas e estrelas em escala (Ateus.net)
How significant are we?

[11] – Ver também: A Origem do Pecado.

[12] – Ver também: Newtonian Science, Miracles, and the Laws of Nature (John Hopkins University – Faculty of Humanities and Social Sciences)

[13] – Ver também: A Criação de Deus a da Religião.

[14] – Ver também: Milagres Explicados.

[15] – Eu poderia estar ganhando dinheiro explorando a crendice alheia escrevendo livros sobre como conversar com anjos… mas não… eu tinha que ser honesto!

[16] – Certa vez Einstein declarou: “I believe in Spinoza’s God, Who reveals Himself in the lawful harmony of the world, not in a God Who concerns Himself with the fate and the doings of mankind“.

[17] – Ver também: O Fim do Mundo.

[18] – O documentário “Deus criou o Universo?” narrado por Stephen Hawking e exibido em 24/10/2011 no Discovery Channel menciona as Leis da Natureza e suas propriedades de maneira bastante semelhante à apresentada aqui e ainda explica como coisas podem surgir do nada sem que isso implique numa violação das Leis da Natureza.



Referências

Leis da Natureza

Law of Nature (Britannica)
Law of Nature (Wikipedia)
Physical Law (scientific law) (Wikipedia)
Lei (ciências) (Wikipedia)
Natural Laws (Ars Technica)
Laws of Nature (University of Cambridge – Faculty of Philosophy)
The Laws of Nature (Committee for Skeptical Inquiry)
A Física Contemporânea e o Status Ontológico das Leis da Natureza (PUC-SP)
Newtonian Science, Miracles, and the Laws of Nature (Bond University)
O Universo – Teorias Sobre Sua Origem e Evolução (Unicamp)
O que é uma Lei da Natureza (De Rerum Natura)



65 respostas para As Leis da Natureza

  1. Vanessa Tavares disse:

    hum… VOce ja vio o atómo? A existencia de Deus rex ja foi comprovada. Olhe pra voce mesmo! Voce é imagem e semelhanca dEle. Voce ja vio o Atomo? Se um dia voce ver eu irei concordar com voce! Mesmo que nao podemos ver a Deus sabemos da sua existencia. Uma outra prova da sua existente te dou, só o fato de voce respirar todas as manhas quando se desperta; o seu folego de vida quem te da é Ele! Com tudo ainda nao tive resposta da minha pergunda! Se esse texto que eu escrevir é “mitologico” entao tudo o que voce escreve aqui nesse espaco tambem é. Do mesmo jeito que voce afirma que um dinoussaurio existiu entrou em estincao e morreu. Como voce tem certeza de que esses ossos encontrados sao verdaderos? É simplismente pelo fato de voce crer no homem que disse que esses ossos sao verdaderos. Mais como voce sabe que ele nao fez uma “mitologia” para conseguir um público e ser bem sucedido? Voce e muitoss outros preferem acreditar em um animal comedor de figado do que em um Deus que nunca entrou em extincao e nunca entrara e que manda a chuva e o sol até pra voce, que vive querendo desfazer dEle. Se voce e muitos outros paracem para estudar sobre esse Deus “desconhecido”, da mesma forma que descubriram as geracoes que já foram e nao sao mais, concerteza voce descobriria algo ou tudo sobre esse Deus. Mais o problema é que voce e muitos outros nao querem estudar e buscar saber sobre esse Deus. Preferem estudar e pesquizar sobre Asera, Osiris, SOl, lua, planta,rato, etc,etc…
    Se pouco a pouco as coisas que sao desconhecidas vao se tornando conhecida. Espero que, esse Deus que eu te falo que pra voce é desconhecido, possa se torna conhecido para voce e um dia voce possa falar um pouco dele nesse espaco! ;)

    • Tyrannosaurus disse:

      VOce ja vio o atómo?

      Vanessa, eu não posso, neste pequeno espaço, demonstrar a existência do átomo, dinossauros, ou seja lá o que for. Existem livros inteiros dedicados a isso. E mesmo que não possamos ver os átomos pode-se provar sua existência. Como eu disse existem inúmeros livros a respeito, mas veja também sobre o Movimento Browniano.

      A existencia de Deus rex ja foi comprovada.

      Não, Vanessa, a existência de nenhum deus foi comprovada. Aliás, se tivesse não seria mais uma crença e sim uma certeza e a existência de deus seria apresentada em livros de biologia (?) e aprendida na escola e não seria mais uma… mitologia.

  2. Vanessa Tavares disse:

    O Espectro Miraculoso Da Luz [...]

    (Comentário editado por violação da política de comentários – não é permitida a publicação de textos integrais retirados de outros sites)

  3. PÉRICLES GILES disse:

    Srs,

    Como é incrível esse universo em que vivemos, nunca poderemos chegar a um consenso, pois tantos gênios já deram sua contribuição para uma compreensão maior sobre isso, e lendo esse diálogo interminável de vocês, eu só posso me lembrar de um gênio que se expressou humildemente através da filosofia quando disse “tudo que sei, é que nada sei”, e aí vem mente a teoria do “vir a ser” ou seja, tudo muda o tempo todo, o universo é expansivo, estamos sempre a evoluir, alguns conscientes disso e outros inconscientes, por uma questão de percepção, agora, por que uns tem e outros não, não cabe a mim saber, o que cabe a cada um de nós, é tirar de cada um, o que tem de melhor, o que faz sentido, e saber utilizar com discernimento e sabedoria, ampliando o nosso entendimento e conhecimento o qual será sempre infinito, pois quando na busca pelo conhecimento, eu me deparo com pesquisadores que fazem projeções astrais a mais de 50 anos, e a unica coisa que chegaram a conclusão, é que muito temos que caminhar para evoluir, mas que é esse misticismo, que nos mantém motivados a aprender cada vez mais.

    Muita paz a todos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: