Deus com Minúscula ou Maiúscula?

dictionary & magnifying glassEm duas ou três ocasiões fui questionado a respeito da minha prática de sempre escrever a palavra “deus” com inicial minúscula e tentei responder da melhor maneira possível no exíguo espaço reservado aos comentários. Porém…

Já percebendo que a questão reaparecerá a cada texto e com cada neo-cruzado que visitar meu blog achei melhor perder meu tempo com esta questão mais uma única vez (espero!) num texto que poderei referenciar futuramente com apenas um link.


Afinal, a palavra “deus” se escreve com inicial maiúscula ou minúscula?


Resposta curta:

A palavra “deus” é um substantivo comum, não é um nome próprio, por isso deve ser escrita com letra minúscula e, de preferência, acompanhada de um determinante (“um deus”, “seu deus”, “o deus deles”, “os deuses”, “o deus cristão”, “o deus da guerra”, “a deusa do amor”, etc) pois existem muitos deuses (na mitologia).


Resposta longa:

Pedras

Comecemos com uma palavra menos estigmatizada como “pedra”, por exemplo. Sempre escrevemos a palavra com minúscula falando genericamente de pedras. Pedras não tem nome e sobrenome, quando temos que nos referir a uma pedra especificamente temos de criar alguma maneira de identificá-la unicamente: “aquela pedra enorme que fica no terreno vazio em frente à casa de Fulano de Tal.” O que só funciona se houver apenas uma pedra enorme no local.

A Pedra

Em qual situação escreveríamos “Pedra” assim com maiúscula? Sempre lembrando que estamos falando de pedras e supondo que não há pessoas com esse nome. Por exemplo: “Pedra está na minha frente e vejo que Pedra é grande.
A frase só faz sentido se houver uma única pedra e mais nenhuma. Assim todos sabem que estou falando da única, a que não tem nome, e por isso mesmo é chamada de… “Pedra”.

Das Pedras para os Deuses

Deuses, como pedras, existem muitos. Repare num detalhe, nesta frase o verbo “existe” se refere não à existência física de fato mas à existência desses deuses na cultura humana. Contudo os deuses, por serem muitos, têm convenientemente cada um seu nome para podermos identificá-los unicamente. Na frase “Allah é grande” sabemos a qual deus nos referimos – o dos muçulmanos. “Tupã é grande“, trata-se do deus de algumas tribos indígenas brasileiras. E assim por diante.
Mas… e “Deus é grande” o que significa? Nesta frase a letra “D” está em maiúscula não por ser a primeira palavra da frase mas por estar sendo usado como um nome próprio. Mas um nome próprio de qual deus? Fica subentendido que se trata do deus judaico-cristão porque este não tem um nome específico pelo qual é mundialmente conhecido. O fato é que não deveria ser usado dessa maneira.

“A Regra é (razoavelemente) Clara”

As regras da gramática dizem que nomes próprios são escritos com maiúscula. A palavra “deus” não é nome próprio, contudo é usada como se fosse. O que há, portanto, é um consenso entre a maioria cristã de se usar a palavra “deus” como nome próprio para, assim, poder-se escrever com maiúscula mais por questões religiosas que gramaticais.
Segundo as regras do recente (e infeliz) acordo ortográfico, os hagiônimos (nomes ligados a práticas religiosas) podem ser escritos com inicial minúscula ou maiúscula.
Se as regras permitem o uso de minúscula, por que alguns insistem em escrever com maiúscula?
A resposta escapa do terreno da gramática para entrar no da psicologia: puxa-saquismo. Pessoas que acreditam em deuses também acreditam que se parecerem suficientemente humildes e submissas receberão favores especiais de seus deuses, daí o uso de maiúsculas tanto na palavra “deus” como nos pronomes pessoais que se referem aos deuses, como “d’Ele”, “n’Ele”, e similares. Bem, se a existência de algum deus já é pouco provável, é ainda mais improvável a existência de um deus que aprecie puxa-sacos.
Mas voltemos à gramática…

Padrão “Blogal”

As regras de uso um idioma são consagradas a longo prazo pelo uso que seus falantes fazem dele, não há uma autoridade que decide tudo. Eu, pessoalmente, optei por me referir ao deus judaico-cristão desta maneira mesmo: “deus judaico-cristão”, “deus cristão”, “deus dos hebreus”, “o deus sem nome dos cristãos”, ou similar. Podem não ser termos estritamente corretos mas é o suficiente para que todos identifiquem a qual deus me refiro.
Por quê fiz esta opção? Como no caso da “Pedra”, a palavra “Deus” (com maiúscula) pressupõe a existência de um único deus, justamente o deus sem nome judaico-cristão. Um pressuposto bastante natural para um seguidor de alguma religião judaico-cristã mas não para outras pessoas. Sendo assim, eu falo sempre em “deuses”, genericamente, e quando tenho de me referir a um deus específico identifico-o pelo seu nome. Se os seguidores de tais religiões concordarem em chamar seu deus de “Jesus” ou “Yaveh” ou coisa que o valha a questão se esvazia. Contudo, insisto, não considero aceitável que a palavra “deus” seja usada como nome próprio de um único deus. Pode ser aceitável para seus seguidores mas não para todos.
É um erro gramatical escrever-se nomes próprios com minúscula porém eu não uso a palavra “deus” como nome próprio mas sempre como substantivo comum. A palavra “deus” é um substantivo comum e o erro está em usá-la como nome próprio.
Assim, não é um erro gramatical, é um padrão que adotei por achar o mais correto. E minha prática ofende não à gramática mas aos seguidores do deus judaico-cristão.
Repare, caro leitor, que no início do texto escrevi as palavras “blog” e “link” em itálico não por que devem ser escritas assim mas é um padrão que adoto, o de geralmente escrever palavras estrangeiras em itálico. Padrão adotado também por alguns jornais, por exemplo.

Neste ponto podemos aproveitar o gancho e tentar imaginar porque o deus judaico-cristão não tem um nome, ou melhor, por que seus seguidores não querem lhe atribuir um nome? Uma boa razão para isso é o fator psicológico – como discutido acima, a palavra “Deus”, com maiúscula, pressupõe a existência de um único deus, o judaico-cristão. Deve ser justamente essa a idéia que seus seguidores querem incutir na mente das pessoas: “existe apenas um deus; o nosso! E esse deus é chamado de Deus“. Inspira temor e respeito! Passa a idéia de verdade e unicidade! “Não se trata de um deuseco qualquer de alguma mitologia mambembe de um povúnculo desconhecido. Nããão! É O Cara! O Único! O Alfa e o Omega!

Bem, até que isso fique provado, trata-se de apenas mais um no panteão de deuses imaginados pelos homens.




Enquete

Alguns leitores acham que o autor do blog é louco… Eu acho que não mas eu sou suspeito. E você, o que acha?





Qualquer eventual anúncio publicitário que apareça nesta página terá sido colocado pelo WordPress e não por mim. Eu não indico ou recomendo qualquer produto, serviço ou site pago.





About these ads

63 respostas para Deus com Minúscula ou Maiúscula?

  1. Eu não li todos os comentários, por isto, me desculpem se eu estiver me repetindo. O deus cristão tem nome sim. Está no gênese. Infelizmente, muitos, dos que se dizem crentes têm preguiça de ler a bíblia e por isso não sabem o nome do “seu deus”. Ótimo texto, me esclareceu uma dúvida de português. Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: