Sobre as Utopias

UtopiaA Sabedoria

Tenha coragem para mudar o que pode ser mudado, paciência para aceitar o que não pode se mudado e sabedoria para diferenciar uma coisa da outra.*1

Mais que uma frase de efeito, trata-se de uma questão estratégica. O sucesso de um empreendimento pode depender de se identificar com precisão onde investir recursos sempre limitados. A estratégia vale para indivíduos, grupos, empresas, nações, até a humanidade como um todo.

A Utopia

Toda utopia visa o bem geral. É um projeto/sonho no qual todos os membros de uma sociedade são felizes. A sociedade perfeita.
Aqui surge o primeiro problema, o clássico problema do que é perfeição. Visto que não há consenso sobre o que é perfeição, uma definição arbitrária deve ser escolhida e imposta de cima para baixo, ou seja, o idealizador do projeto deverá impor seu conceito de perfeição aos outros, ou, um grupo imporá um conceito comum e mais geral a todos os outros.
Numa sociedade “perfeita” também se pressupõe perfeita igualdade entre seus membros, direitos e deveres iguais para todos. Sem essa igualdade haverá privilégios e desequilíbrio social. Este é o segundo problema, as pessoas são diferentes, em todos os sentidos, do genótipo ao fenótipo. Distribua todas as riquezas de uma nação igualmente entre todos os cidadãos e pouco tempo depois teremos novamente ricos e pobres, pois existem pessoas honestas e pessoas inescrupulosas, ingênuos e ambiciosos, tolos e sábios, pessoas desprendidas e pessoas gananciosas. Uma sociedade homogênea não pode existir simplesmente porque as pessoas são diferentes; por isso para se implementar uma utopia também será necessário eliminar as minorias, os diferentes, os rebeldes, os pensantes, para, com isso, tentar-se criar uma sociedade o mais homogênea possível.
Assim, numa utopia os conceitos e os métodos deverão ser impostos à força, o projeto, como um todo, deverá ser imposto de cima para baixo – um péssimo começo para uma ideologia que visa o bem geral e que pretende ser perfeita.

As Utopias

O comunismo (atualmente chamado de socialismo, para tentar desvencilhar a imagem dessa ideologia do fracasso da URSS) falha, no aspecto sociológico, ao criar toda uma ideologia fundamentada na falsa premissa de que todos são iguais e falha também no aspecto econômico com a ridícula teoria de que o Estado pode controlar a produção. Pode até funcionar razoavelmente bem em sociedades pequenas e primitivas/simples como as sociedades indígenas mas está fadado ao fracasso quando aplicado na prática a sociedades grandes e complexas. Esse experimento já foi feito durante 70 anos e falhou ao custo de milhões de vidas.

O anarquismo é igualmente absurdo por sonhar com uma sociedade onde todos são honestos, sábios e esclarecidos o suficiente para abrir mão de um governo.

Mesmo a democracia é uma utopia, pois para funcionar também necessita de uma população esclarecida, consciente, responsável. Uma democracia pode facilmente ser destruida e substituida por outro regime totalitário se um povo não suficientemente esclarecido for convencido a eleger ditadores. Exemplos não faltam: a ascensão de Hitler ao poder nos anos 30, a eleição de Hugo Chávez na Venezuela, Evo Morales na Bolívia, Getúlio Vargas no Brasil.*2

“Voltaire preferia a monarquia à democracia; na primeira basta educar um homem, na segunda há necessidade de educar milhões – e o coveiro leva-os a todos antes que dez por cento concluam o curso.” (Will Durant, in “Filosofia da Vida“).
Claro está que não defendo a monarquia por ser um sistema anacrônico e já superado.

Enfim, projetos miraculosos são tolices construidas sobre teorias falsas, enganadoras, falaciosas.

Se as utopias são impossíveis e impraticáveis, conclui-se que projetos utópicos, e o desejo de implementá-los, só podem se sustentar na má fé ou na ingenuidade. Geralmente na má fé e na ambição por poder dos seus idealizadores e na ingenuidade dos seus apoiadores, aproveitando-se da inexperiência e idealismo dos jovens, do desespero e ignorância dos miseráveis.

A História tem mostrado que, numa sociedade livre, a economia de mercado (o capitalismo) acaba por estabelecer-se naturalmente, impondo-se de baixo para cima, junto com a democracia, que até o momento parece ser a única ideologia com alguma chance de sucesso – nela tem-se, ao menos, liberdade.

Então toda esperança de uma sociedade melhor é inútil? Não. E é aí que entra a sabedoria.

 


*1 – Autor indeterminado. A frase é atribuída a diversas fontes; não foi possível determinar com segurança qual o verdadeiro autor.

*2 – O futuro dirá se Lula deve ser incluido nesta lista.

4 respostas para Sobre as Utopias

  1. Muito claro. Queria que algumas pessoas (com as quais estudei) lessem esse texto para entender quando eu falo que ”democracia” não existe ou, pelo menos, não da forma que eles conhecem (?). Hegel que explica isso direitinho, mas eu ainda não tive oportunidade de ler outra obra além da ”Fenomenologia do Espírito”, mas o problema é que para ele o fim seria o Estado (na questão política). No entanto, só em admitir que esses eventos ruins da história não vão acabar (por defender a alteridade e etc [!?]), já é um ótimo passo.

    Beijo!

    ps: Até que enfim postou algo novo.😉

  2. Tyrannosaurus disse:

    Obrigado!
    Ah que trabalho organizar as idéias, colocá-las numa seqüência lógica, esforçar-se para não ser entediante, repetitivo, polêmico, irracional, quando aquelas são rápidas demais para os dedos…
    Mas estou trabalhando em novos textos… rascunhos que abandono e retomo…

  3. Independente disse:

    Democracia é a vontade absoluta da maioria do povo […] Os Estados Unidos da América que se julgam os “campeões” de Democracia por exemplo, não passam de uma Ditadura da Burguesia e do Capital Monopolista […]. A dita “Democracia” nos Estados Unidos da América não passa de uma grande fraude um engodo […]. Toda ruidosa propaganda de “Democracia” nos Estados Unidos da América não é senão uma capa fina […]. Os americanos que usam por estratégia […] não passam de “fachada” apenas para enganar e justificar todas as suas ambições Imperialistas. Existem nos Estados Unidos apenas dois partidos […] e deveria haver outros com ideias novas, rejuvenescidas e diferentes disputando em igualdade de condições. O Partido Democrata e o Republicano […] são farinha do mesmo saco […] Em alguns países que através de uma revolução popular tentam tornar-se livres, soberanos e independentes e que tentam contruir a Democracia […]. Os Imperialistas dos EUA tentam de todas as formas […] pretexto para invadir países que não queiram ficar sob seu domínio e controle. Os Imperialistas dos EUA que se apossam das riquezas naturais de outros países […]

  4. Tyrannosaurus disse:

    Caro Independente

    Meu texto fala sobre utopias; os Estados Unidos nem foram mencionados aqui. Seu longo comentário é apenas um discurso anti-EUA e não se relaciona com meu texto, por isso fui obrigado a resumi-lo. (Ver política de comentários do blog).
    “Imperialistas ianques” ou de qualquer outra nacionalidade são tão perniciosos quanto os comunistas, e o mundo passaria bem sem ambos.
    Falar em revoluções quando se vive num regime ditatorial é uma coisa; falar em revoluções quando se vive num regime democrático e livre é outra bem diferente – num objetiva-se a liberdade, no outro a ditadura.
    Se você deseja fazer discursos anti-EUA, propaganda de algum sistema de governo alternativo ou complôs revolucionários, sugiro que você crie seu próprio blog. O WordPress oferece esse serviço gratuitamente.
    Esteja ciente, contudo, de que o WordPress é uma empresa norte-americana…

    Obrigado pela visita

    um abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: