Por que a Religião é Perniciosa

Warning! Religion may damage your health!

Dizer que a religião é inútil daria a entender que se não faz bem, mal também não faz, mas isso não é verdade, a religião é nociva e perniciosa. Eis alguns motivos:

1) Existem uns poucos motivos para se começar uma guerra:

a) ambição (poder, riquezas, terras)
b) “bullying” (intimidação covarde)
c) vingança
d) sentimento de superioridade (“limpeza étnica”)
e) religião

Todas coisas ruins, e não é à toa que a religião figura dentre elas.
A religião, na verdade, está intimamente ligada ao sentimento de superioridade – o sentimento de “superioridade” cultural e religiosa estimula o desejo de “limpeza cultural e religiosa” de outras culturas/religiões consideradas “inferiores”. Essa “limpeza cultural” é eufemisticamente chamada de “evangelização”, podendo ou não tomar proporções de guerra dependendo da resistência oposta a ela. Exemplos: Cruzadas, destruição de povos e culturas nativas americanas, “limpeza étnica” de Israel contra os palestinos, perseguição aos judeus[1], etc.

“A man who is convinced of the truth of his religion is indeed never tolerant. At the least, he is to feel pity for the adherent of another religion but usually it does not stop there. The faithful adherent of a religion will try first of all to convince those that believe in another religion and usually he goes on to hatred if he is not successful. However, hatred then leads to persecution when the might of the majority is behind it.” Albert Einstein

2) Os religiosos afirmam ter certeza de tudo que sabem através da religião. A religião e a fé lhes dão essa certeza, e a certeza do conhecimento é o maior empecilho à curiosidade, à investigação, ao aprendizado. A religião estimula seus fiéis a abandonar a razão, o bom senso, a racionalidade. Exemplo: pessoas membros de algumas seitas crêem que a Terra é plana e quadrada, essa “certeza” baseada na fé as impede de aceitar a realidade. Descobrir o verdadeiro formato da Terra não será melhor que acreditar que ela tenha este ou aquele formato?

3) As pessoas religiosas, mesmo se dizendo caridosas, pias e movidas pelo amor e solidariedade, não se importam em ver uma pessoa sofrendo atrozmente com dores insuportáveis por dias, meses, anos, colocando-se irredutivelmente contra a eutanásia, o suicídio assistido, interrupção da gravidez em casos de anencefalia ou outros casos, etc. A religião também se coloca contra pesquisas científicas que podem pôr fim ao sofrimento de milhões. Intransigência, egoísmo, insensibilidade e arrogância acima da compaixão.

4) A religião não pode se atualizar ou evoluir, como querem alguns, pois isso significaria que (1) seu deus mudou de opinião (!?) e os informou disso, e nesse caso os livros sagrados e os dogmas devem ser alterados; ou (2) estarão confessando que os dogmas religiosos foram criados por pessoas e não por um deus onisciente. A situação (1) é absurda demais até para um crente, a situação (2) jamais ocorrerá, assim a religião está condenada à estagnação e à imobilidade pela sua própria pretensão em ser a “verdadeira palavra”. A menos que… a sua hipocrisia seja maior que a sua pretensão. Além de ser estranho que criacionistas sugiram que a evolução se aplique à religião.

5) A religião só consegue se manter viva por gerações utilizando-se da lavagem cerebral iniciada já na infância. Os sacerdotes sabem que uma pessoa criada desde o nascimento numa religião dificilmente abandonará essa religião depois de adulta, por isso exigem que seus membros se comprometam a batizar e educar seus filhos observando seus preceitos. Um dos feitos mais eficientes, engenhosos e cruéis dos religiosos foi conseguir convencer pais e mães a violentar intelectualmente seus próprios filhos e usá-los para perpetuar o poder da religião, o obscurantismo e a ignorância.
Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” – Provérbios 22:6

6) Contando com seus membros em todos os segmentos da sociedade e do governo, as igrejas conseguem a aprovação de leis que as protejam e, sempre que possível, torne obrigatório o ensino religioso nas escolas, para continuação da lavagem cerebral iniciada pelos pais, imposição de algum tipo de censura, e outras.

7) As pessoas religiosas afirmam agir de acordo com a “palavra de deus”, obedecem cegamente o que dizem seus livros “sagrados” e, freqüentemente, os interpretam de maneira a obter corroboração ao que eles mesmos pensam:

“[…] tem gente que me diz que eu não devo legislar como cristão, mas é nisso que eu acredito e faço o que Deus manda […]” (Deputado Henrique Afonso justificando o “bolsa-estupro”)

Tanto criminosos quanto tiranos freqüentemente utilizam os mesmos expedientes para justificar o que querem fazer e convencer as pessoas da retidão de suas ações:

“Mas já que colocamos como ponto central desta percepção e desta profissão de fé a manutenção e a segurança para o futuro como sendo formada por Deus, nós servimos, assim à manutenção de um trabalho divino e cumprimos o desejo divino, não no segredo do escuro de uma nova casa de adoração, mas abertamente perante a face do Senhor.” (discurso de Adolf Hitler em Nuremberg em 6 de setembro de 1938 )

“Acredito que Deus fala através de mim. Sem isso, não poderia fazer meu trabalho.” (George W. Bush)

8 ) Muito tempo gasto inutilmente em preces e cultos. Muito dinheiro e trabalho gasto na construção de templos e igrejas. Tempo, dinheiro e trabalho que seriam melhor aproveitados de diversas outras maneiras.

9) A crença em milagres, curas, intervenções divinas estimula a passividade, a apatia e o conformismo. Exemplo: Segundo uma antiga profecia dos Astecas, um dia um deus branco chegaria. Quando os espanhóis chegaram eles acharam que a profecia tinha se cumprido e Hernán Cortés era o tal deus branco. Por essa razão não lutaram contra a dominação espanhola. Se não fosse por sua crença nessa profecia a história poderia ter sido diferente.

10) A religião é utilizada tanto por sacerdotes quanto por governantes para controlar as pessoas, obter poder e riquezas. Exemplo: na Índia milhões de pessoas consideradas de casta inferior aceitam passivamente essa condição por acreditar que seja vontade divina.

11) As pessoas religiosas não hesitam em utilizar quaisquer métodos para tentar converter outros e se possível eliminar os opositores, assim como os regimes ditatoriais. Exemplos: A Inquisição, a destruição de outras culturas[2], perseguições religiosas.

12) A religião obtém tanto mais penetração, controle e sucesso quanto mais ignorantes forem as pessoas. Por isso estimula a censura e destruição de livros, obediência cega a sacerdotes, dogmas e livros sagrados, ao mesmo tempo em que se protege dos ataques dos críticos acusando-os de estarem a serviço do “mal”. Tanto em regimes teocráticos quanto em ditatoriais as primeiras pessoas a serem eliminadas são justamente sábios, cientistas, professores, filósofos, livre-pensadores, artistas e opositores em geral. A ignorância é o primeiro pilar da religião. Exemplos: o Index do Vaticano, a ignorância reinante na Idade Média.

13) A religião utiliza conceitos como o pecado para criar gerações de traumatizados e escravos que se recusam a pensar com racionalidade por medo de punições eternas. Exemplo: muitas pessoas (principalmente mulheres) sofrem com o dilema de sentir prazer no sexo e o medo de que sexo seja pecado.

14) A religião faz as pessoas acreditarem que precisam dela para viver. Esforça-se para convencê-las de que sem ela sua vida não teria sentido, seriam infelizes, vazias, que a humanidade não teria ética e que sobreviria o caos pois “sem deus tudo seria permitido”. O medo é o segundo pilar da religião.

15) A religião freqüentemente afirma que certas coisas, como doenças, acontecem a algumas pessoas como punição divina, criando preconceito e estigma, alimentando medo e ignorância;

16) A religião quando não é contra a ciência, ou seja, contra o conhecimento, tenta apropriar-se dela e falseá-la para dar um novo verniz a seus dogmas. Ex: o neo-criacionismo;

17) O deus cristão é preconceituoso, homofóbico, misógino e genocida, tornando a religião uma desculpa para o preconceito, o ódio e a intolerância;

18 ) Por ser contra o controle populacional e o planejamento familiar incentiva inúmeros problemas causados pelo excesso de população;

19) A religião deveria se ater aos problemas espirituais dos seus seguidores e entender que suas regras e opiniões só valem para esses mesmos seguidores, porém, quer impor suas regras também a não-seguidores ao se meter na política e na elaboração de leis, como se fosse dona da verdade;

20) A Igreja tem como política dar cobertura a pedófilos e sádicos, e a julgar pela quantidade deles nos seus quadros deve haver alguma correlação.

21)A crença numa vida após a morte e a crença de que essa suposta vida após a morte seja mais importante que esta vida estimula a colocação em segundo plano, a desvalorização, a diminuição, da única coisa que realmente temos: esta vida.

22)A crença numa “justiça divina” incentiva o conformismo com a impunidade: “pode escapar da justiça dos homens mas não escapará da justiça divina“.

23) A religião consegue convencer as pessoas de que são coisas boas:

– a circuncisão e a mutilação genital;
– morrer e matar em nome de um deus;
– dar dinheiro a pilantras que afirmam falar em nome de um deus;
– não permitir que seus filhos façam transfusão de sangue;
– trancar-se num convento e passar a vida toda rezando;
– batizar crianças e ensinar-lhes religião;
– …

24) Até hoje a religião não ajudou em nada a humanidade. Os únicos que se beneficiam com a religião são sacerdotes e governantes que a utilizam em benefício próprio;

Conclusão

Do ponto de vista pessoal: A religião apóia-se no medo e na ignorância; torna as pessoas medrosas, fracas, vulneráveis, apáticas, passivas, manobráveis.

Do ponto de vista social: A religião não é uma questão de foro íntimo a partir do momento em que tenta doutrinar crianças, envia seus evangelizadores e missionários para tentar nos converter, seus pregadores voluntários (?) para nos aborrecer no metrô, seus vendedores de bíblias, colocam programas religiosos em vários canais de TV e rádio, suas bancadas evangélicas que crescem perigosamente fazem leis baseadas em suas crenças pessoais que nos afetam a todos, crentes ou não. Por isso aqueles que já descobriram como é nociva a religião fariam bem em assumir um papel mais ativo para que a religião seja apenas uma questão de foro íntimo, e para adultos. Ou menos que isso.

A religião é perniciosa, não pára de crescer e é muito difícil de se extirpar – é um câncer social.




Christianity is the most ridiculous, the most absurd and bloody religion that has ever infected the world.Voltaire



Notas

[1] – Interessante como judeus perseguidos tornam-se perseguidores. Freud explica.
[2] – Exemplos de casos recentes:
Justiça vai investigar 25 ONGs
FUNAI acusa igrejas evangélicas de destruírem cultura de índios



Artigos Relacionados

On the Teaching of Religion




Esqueci de algum item? Então deixe um comentário abaixo.

9 respostas para Por que a Religião é Perniciosa

  1. Sou ateu desde os meus 16 anos e tive a felicidade de ter pais que nunca me forçaram a ir a missas. Tudo que está escrito no artigo é a expressão exata do que penso a respeito de religiões.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: