O Povo quer Justiça?

Enforcamento de \Nestas últimas semanas do caso Isabella, temos observado pessoas que vão para a frente da casa da família Nardoni e do edifício onde moravam para “pedir justiça”, gritar, exibir cartazes, pichar os muros, jogar pedras nos carros, xingar e ameaçar os suspeitos e outros membros da família.

Ficam lá durante horas, em vigília à noite, passam de carro nas madrugadas, gritando, em demonstrações de falta do que fazer e muita irracionalidade movida e comoção. Algumas até tentam invadir a casa da família, ignorando as leis e a justiça para pedir justiça!

Se vivemos num Estado de Direito não é necessário pedir justiça, esta se faz mecanicamente pelas instituições. Ou não vivemos num Estado de Direito ou essas pessoas agem de maneira irracional. Ou talvez as duas coisas.

Se essas pessoas querem realmente justiça por que não vão às portas do Congresso exigir penas mais duras para que criminosos como Champinha não fiquem rindo e vendo TV, impunes, às nossas custas? Por que não vão às portas do Legislativo pedir que modifiquem o sistema judiciário para que se torne mais justo e eficiente? Por que não vão às portas de alguma propriedade, pública ou privada, invadida pelos desordeiros do MST, exigir que saiam dali? Por que não vão às portas do Executivo exigir que o governo pare de agir de maneira desavergonhadamente imoral e criminosa ao estimular tais quadrilhas? Por que não exigem que a ordem seja restabelecida neste país sem lei, de desordem, injustiça e bandalheira?

A resposta é simples: o que a turba quer não é justiça, mas simplesmente dar vazão à comoção.

Acontecem dezenas de casos semelhantes todo ano, por que esse caso virou “comoção nacional”?
Tradicionalmente a mídia veste a carapuça e procura se eximir dizendo que apenas mostra os fatos. É verdade, em parte. A mídia joga as sementes em forma de notícias, a maioria delas é vista com indiferença e esquecida, eventualmente uma delas chama mais a atenção do público por alguma razão e inicia o processo de comoção; o público passa a demandar mais detalhes da situação; a mídia detecta a demanda e fornece mais detalhes, aumentando o interesse e a comoção numa espiral crescente de comoção e irracionalidade. Mesmas características demonstradas por alguns jornalistas que avançam avidamente com seus microfones e câmeras em cima dos suspeitos, rodeiam seus carros com flashes e correm atrás desses carros, de maneira ridícula, para tirar mais fotos não se sabe do quê – realimentando a irracionalidade e a comoção.
Uma mídia hipócrita e sem ética junto com um público irracional e suscetível a comoções formam uma simbiose perfeita, transformando episódios como este num circo. E até o poder público faz sua parte colocando banheiros públicos e distribuindo água e cafezinho para o “espetáculo”.

Irracionalidade e suscetibilidade à comoção, combinação perigosa que esteve presente em tantos casos de injustiça e barbárie ao longo da história humana.
Oradores inflamados, como Adolf Hitler e Mussolini, seriam vistos como malucos inofensivos se não estivessem sendo ouvidos, e seguidos, pelas turbas irracionais suscetíveis de comoção. A perseguição das bruxas de Salem, e de judeus no século XIV durante a peste negra, e muitos outros episódios, não teriam acontecido.

Assim que a polícia descobrir o culpado pelo crime, este será punido pela Justiça (?) brasileira, como mandam nossas porcas leis. Ficará preso por alguns anos, seguramente menos de dez, e então sairá pela progressão de pena. O caso cairá no esquecimento mas ficará a sensação de impunidade como nos casos Liana Friedenbach e Felippe Caffé, João Hélio Fernandes, Gabriela do Prado Ribeiro, Priscila Aprígio, Daniella Perez, Maria Cláudia de Siqueira Del’Isola, a família que foi queimada viva em Bragança Paulista, e tantos outros numa lista imensa. Isabella Nardoni sai da vida para entrar nesta lista, sob as lágrimas da multidão comovida… E perde-se, mais uma vez, a chance de exigir mudanças profundas no sistema judiciário.

Então, tchau pessoal! Até a próxima comoção nacional!

Uma resposta para O Povo quer Justiça?

  1. alanmirandadefreitas disse:

    Alguns realmente vão lá na intenção sincera de uma sensibilização, passados uns três dias os que vão, vão apenas para mostrar a cara na TV. Tsc tsc tsc… Tripudiar em cima da morte de uma criança assassinada brutalmente por seja lá quem for. Não é a toa que o Brasil não vai pra frente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: